Skip to content
 

Siftables, Topobos e novas maneiras de interagir com o computador

siftables

siftables

Cada vez mais a interação com dispositivos eletrônicos envolve o sentido do tato e o uso de interfaces lúdicas e que se aproveitam da possibilidade de movimentação de objetos.

Sempre que vejo alguém jogando pela primeira vez o Nintendo Wii observo um sorriso no rosto da pessoa provocado não tanto pelo jogo sendo jogado, mas, principalmente, pela maneira intuitiva em utilizar o joystick. Controles através de câmeras, interfaces multitoque e sensores de aceleração já estão bem inseridos em dispositivos como o iPhone.

Diversos exemplos de maneiras alternativas de interação já foram apresentadas no evento  TED Conference. Tal encontro é  uma conferência anual na qual em poucos minutos os palestrantes devem apresentar temas relacionados a tecnologia, entretenimento e design. O vídeo de muitas palestras está disponível na Internet e, inclusive existe um projeto para a tradução de algumas apresentações.

Neste ano, o pesquisador David Merrill do Media Lab do MIT apresentou um exemplo de interface tangível chamada siftables no qual um pequeno dispositivo possui um conjunto de sensores, um display gráfico e a capacidade de se comunicar e perceber outros dispositivos do mesmo tipo próximos. Ou seja, cada siftable é um pequeno agente que interage com os seus semelhantes e com o ser humano.

As possibilidades de interação com este tipo de interface tangível são inúmeras, desde educação, games e, até mesmo, projeto colaborativo. O vídeo a seguir mostra a apresentação de sete minutos do pesquisador no TED e alguns exemplos de uso.

O que chama atenção nesta iniciativa é a intuitividade e a possibilidade de “montar” os “agentes” como se fosse uma brincadeira de Lego. Neste contexto, outro projeto interessante também  nascido no Media Lab é o kit de robótica Topobo.

Topobo

Topobo

Neste kit de encaixar, alguns componentes possuem memória de movimento (kinetic memory), permitindo que se monte um robô e ensine quais são os movimentos que ele deve realizar.

O vídeo demonstrativo abaixo vende o produto como um brinquedo para crianças. Entretanto, pode-se imaginar um futuro no qual esse tipo de interface misturada com algo semelhante aos Siftables permita que criemos robôs para a realização de atividades domésticas ou industriais muito mais adaptativos e fáceis de treinar pelas pessoas comuns.

Deixar uma Resposta